Escritores da Nova Zelândia

Frequentemente os escritores da Nova Zelândia fazem referência a paisagens familiares, apresentando sua terra natal para os leitores e inspirando aqueles que viajam através dos livros a saírem para jornadas reais de descobertas.

New Zealand
Witi Ihimaera, New Zealand

By © Huia Publishers

New Zealand
Paul Cleave, New Zealand

By NZatFrankfurt

New Zealand
Catherine Robertson, New Zealand

By © Miriam Douglas

New Zealand
Kate Camp, New Zealand

By NZatFrankfurt

Os escritores da Nova Zelândia vêm conquistado regularmente leitores e a atenção do mundo todo, desde a escritora de contos do século 19, Katherine Mansfield, à lírica Janet Frame (meados do século 20) e Lloyd Jones (Mr. Pip).

Romancistas policiais neozelandeses também conquistaram uma legião de fãs, começando com Ngaio Marsh e mais recentemente Paul Cleave e Vanda Symon, criadora da atraente e cheia de atitude detetive Sam Shephard.

Muitas vozes da Nova Zelândia também podem ser ouvidas na poesia. A primeira coleção de Selina Tusitala Marsh foi recebida como uma "nova fusão desafiadora... renovadora e ousada".

Kate Camp, que publicou quatro coleções, passou o ano de 2011 em um programa de escritores em Berlim, e o principal poeta contemporâneo e figura literária, Bill Manhire lançará uma nova seleção em 2012.

Escritoras infantis, como Margaret Mahy, Lynley Dodd e Joy Cowley, trouxeram a alegria dos livros infantis e ajudaram a criar diversos futuros leitores em todo o mundo. Uma empolgante nova geração de escritores de literatura infantojuvenil, como Mandy Hager, está seguindo seus passos.

Um perfil de alguns escritores contemporâneos da Nova Zelândia:

Witi Ihimaera
O primeiro escritor māori a publicar um livro de contos e um romance, Witi Ihimaera considera "o mundo em que vive com sendo māori, e não europeu" e sua ficção se desenvolve a partir dessa perspectiva. Ele cria novas realidades imaginativas para seus leitores, retiradas de experiência autobiográfica. Seu romance, A Encantadora de Baleias, se tornou um filme de sucesso internacional.

C K Stead
C.K. Stead é uma das figuras literárias mais proeminentes da Nova Zelândia. Ele é um célebre romancista, crítico literário, poeta, ensaísta e professor emérito de inglês na University of Auckland. Stead ganhou e foi indicado para muitos prêmios e associações de prestígio, incluindo o Creative New Zealand Michael King Writers' Fellowship em 2005. Stead é um dos dois únicos escritores vivos da Nova Zelândia a ter a honra de se tornar um membro da Order of New Zealand (ONZ).

Kate De Goldi
Kate De Goldi é escritora de contos, autora de ficção para jovens e de livros infantis, além de artigos para jornais. De Goldi também faz a crítica de livros regularmente no rádio e na televisão. Ela ganhou os prêmios American Express e Katherine Mansfield Memorial por contos e também o New Zealand Post Book of the Year Award em 2005 e 2009. O 10pm Question (2008) ganhou na categoria Young Adult do New Zealand Post Book Awards de 2009 e o Corine International Book Prize Young Readers Award de 2011. 

Paul Cleave
Paul Cleave é um autor campeão de vendas no mundo todo que atualmente está dividindo seu tempo entre sua cidade natal Christchurch, na Nova Zelândia, onde todos os seus romances se passam, e Londres. Seu primeiro livro, The Cleaner, teve seus direitos vendidos para adaptação ao cinema e será uma produção europeia. Seu sexto romance, The Laughterhouse, deve ser lançado neste ano.

Leia sobre a aventura recente de Paul Cleave em Franz Josef Glacier:  Frisbee no gelo: caminhadas pelo Franz Josef Glacier

Catherine Robertson 
O romance de estreia de Catherine Robertson, The Sweet Second Life of Darrell Kincaid (2011), figurou na lista dos mais vendidos da Nova Zelândia imediatamente e se tornou o número um. A estação Radio New Zealand considerou o livro "absolutamente brilhante", além de outro crítico ter descrito Robertson como um "novo tesouro nacional'. O segundo romance de Robertson, The Not So Perfect Life of Mo Lawrence, será lançado neste ano.

Leia sobre a recente aventura de Catherine Robertson em Kapiti Island:  Um kaka roubou meus cereais

Fonte: New Zealand Ministry of Culture & Heritage

Os holofotes se voltam para a Nova Zelândia durante a Feira do Livro de Frankfurt

Aotearoa New Zealand esteve em evidência durante a Feira do Livro de Frankfurt, em outubro de 2012 na Alemanha, considerado o maior evento editorial do mundo.

Como convidada oficial de honra para a feira de cinco dias, a Nova Zelândia ocupou um impressionante pavilhão exibindo a criatividade e a cultura quivi a mais de 300.000 visitantes, jornalistas e expositores de 110 países.

Enquanto você dormia

O idioma e a cultura ofereceram um elemento em comum na programação de Frankfurt sobre a Nova Zelândia, cujo tema foi: He moemoeā he ohorere / Enquanto você dormia / Bevor es bei Euch hell wird: uma referência poética às culturas fundadoras, māori e europeia, da Nova Zelândia, localizações antípodas e fusos horários do hemisfério oposto.

Mais informações:

Localizar & reservar voos