Great Walks - Rakiura Track, Stewart Island

3 DAYS

36 KMS

Destaques

  • Beautiful wilderness beaches
  • Birdsong and Brown Kiwis
  • Fascinating Maori history

Proximidade

Grade

Easy

Você está aqui

A Stewart Island é o local ideal para ter paz e isolamento, cercado por um habitat que mudou muito pouco nos últimos milhares de anos.

36 km — Três dias

Um mundo completo

A Stewart Island é o local ideal para ter paz e isolamento, cercado por um habitat que mudou muito pouco nos últimos milhares de anos. Durante o dia, seus pés acompanharão o ritmo da trilha. À noite, você será tranquilizado e adormecerá pelo chamado da "morepork" de ruru e os possíveis guinchos dos quivis. Ao acordar, o ar fresco terá operado suas maravilhas e você se sentirá milagrosamente novo. Essa jornada no hemisfério sul é um exercício de autorrenovação.

Retrato da trilha

A Rakiura Track tem 36 quilômetros de extensão. Ela segue a costa, sobe e passa por uma cadeia florestada e atravessa o litoral protegido de Paterson Inlet. Parte dela atravessa as terras Maoris e o acesso a essa área é cortesia. A maioria das pessoas leva três dias para concluir essa trilha.

Boa parte de trilha é feita por passarelas. Assim, é possível evitar a conhecida lama de Stewart Island. Há duas cabanas para acomodação e três áreas de acampamento na trilha. É possível fazer a trilha em qualquer direção e qualquer estação. Não se assuste com o inverno. O clima é ameno e geralmente não muda com frequência. 

Praia, costa e floresta

As praias de beleza selvagem são características especiais dessa trilha. A Maori Beach já foi o lar de uma vila Maori e uma serraria. O local voltou a ser deserto, mas ainda existem relíquias interessantes a serem descobertas no local. Pode ser divertido procurar conchas pela praia. Procure ostrich foot shells, knobbed whelks, southern volute, Cook's turban shell e pink barnacles.

A floresta vista da metade da Rakiura Track é composta principalmente por rimu e kamahi, mas há também samambaias nas árvores, samambaias terrestres e delicadas orquídeas aéreas. O canto dos pássaros é encantador, uma sinfonia de arapongas e tuis, com guinchos esparsos de kaka para garantir o equilíbrio.

A área sul da trilha atravessa Paterson Inlet, o maior porto interno da região. A 16 quilômetros do mar aberto e com 20 ilhas, as águas da baía são incrivelmente claras. Como a vegetação de Stewart Island está completamente intacta, pouco sedimento corre para o mar. A Paterson Inlet é um braço raso, um antigo vale de rio submerso.

Uma jornada pela terra das aves

A população humana de Stewart Island é muito pequena, mas sua população de aves é imensa. Embora morem menos de 400 pessoas no local, a floresta podocarpaceae rica e pura da ilha é um santuário para as aves nativas. Há mais de 100 espécies de aves na ilha, incluindo muitas aves nativas como kokako, tieke, robins e yellowheads.

O quivi-marrom da Stewart, também conhecido como tokoeka do sul, é uma das seis espécies conhecidas de quivi. Os quivis não voam e, em sua maioria, têm hábitos noturnos. No entanto, os tokoeka têm hábitos noturnos e diurnos. Estima-se que há 20 mil quivis em Stewart Island. Não espere avistar um quivi, pois eles evitam a companhia humana. No entanto, as operadoras locais oferecem passeios até Ocean Beach, onde os pássaros gostam de comer pulgas-do-mar.

No quesito aves aquáticas, a Stewart Island é um lugar muito abençoado. É comum avistar albatrozes, mollymawks, príons, petréis, corvos-marinhos, gaivotas, mandriões, terns, gansos-patola e pinguins-azul. A população de pardelas-pretas aumenta muito na época do acasalamento. Também é possível ver algumas espécies de pinguins maiores, como pinguim-saltador-da-rocha, pinguim-de-fiordland, pinguim-de-olho-amarelo e pinguim-das-snares.

As zonas de entremaré de Paterson Inlet abrigam diversas aves pernaltas, dentre elas o dotterel da Nova Zelândia, ostraceiros, garças e godwits.

Outras atividades

Embora as caminhadas e a observação de ave sejam as principais atrações, a Stewart Island também é um destino popular para mergulho, canoagem marinha e pesca. O povoado de Halfmoon Bay está bem-equipado para manter os visitantes satisfeitos e a hospitalidade da população local é conhecida. Como seria de se esperar, a culinária de Stewart Island tem os frutos do mar como base. O bacalhau-azul fresco está presente em todos os menus.

História Maori

Por centenas de anos, antes da chegada dos colonizadores europeus, Stewart Island foi o lar de muitos colonos Maori. Além dos frutos do mar, a ilha criou uma iguaria muito especial, o titi (muttonbird), que é apreciado até hoje.

O nome original da ilha, Te Punga O Te Waka a Maui, pode ser interpretado como "a âncora da canoa de Maui". A mitologia Maori conta que Stewart Island foi a âncora da canoa de Maui (que era a South Island) enquanto Maui fisgava e puxava seu grande peixe (a North Island).

O povo Maori também chamava a ilha de Rakiura, que significa "a terra dos céus brilhantes", possivelmente fazendo referência aos gloriosos nascer e pôr do sol ou, talvez, ao brilho noturno da Aurora austral (as Luzes do sul).

Os últimos 150 anos

No século XIX, o povo Maori recebeu diversos exploradores, caçadores de focas, missionários, mineradores e colonizadores europeus. Em seguida, surgiram os serralheiros, construtores de barcos e pescadores. A última maior entrada de pessoas no país aconteceu na década de 20, quando um grupo de baleeiros noruegueses chegou à ilha. Muitos optaram por fixar suas residências no local, o que trouxe uma combinação fascinante de nacionalidades a Rakiura. Algumas das casas construídas pelos primeiros baleeiros noruegueses ainda existem. Sua arquitetura alpina característica faz com que seja fácil reconhecê-las.

No princípio, havia colonizadores espalhados pelas margens da Paterson Inlet, nos pontais da Halfmoon Bay e da Horsehoe Bay e em Port William e Port Pegasus. Hoje, a população se concentra no povoado de Halfmoon Bay, também conhecido como Oban, e o foco da indústria local passou da exploração para a conservação. 

Reservar um passeio com uma agência de turismo

Diversas agências de turismo especializadas podem ajudar você a tornar essa experiência uma realidade. Não importa se esteja à procura de uma excursão guiada ou de acomodações ao longo da trilha; consulte nossas listagens de empresas e encontre a experiência de caminhada ideal para você.

Reservar um passeio por conta própria

Se desejar fazer uma Great Walk por conta própria, você precisará reservar as acomodações com antecedência através dos Centros de Visitantes do Departamento de Conservação (DOC).

  • Great Walks Taxas e Reservas
  • Os Centros de Visitantes do Departamento de Conservação (DOC) espalhados pelo país poderão fazer reservas de cabanas ou de acampamentos em seu nome. São cobradas taxas de reserva.
  • Ligue para +64-3-249 8514, envie um fax para +64-3-249 8515 ou um e-mail para greatwalksbooking@doc.govt.nz

Mais informações

Localizar & reservar voos